top of page
  • Foto do escritorAero Latina

Acidente no Japão: Avião da Guarda Costeira não foi liberado para entrar na pista


A350 em chamas

O Ministério dos Transportes do Japão divulgou uma conversa entre os controladores de tráfego aéreo e as duas aeronaves momentos antes de colidirem no Aeroporto de Haneda (HND) no Japão.


A conversa, publicada no dia 3 de janeiro, sugere que a tripulação do DHC-8 da Guarda Costeira não havia sido autorizado a entrar na pista.


A transcrição é tirada de conversas com duração de 04 minutos e 27 segundos antes do acidente. Também confirma que o Airbus A350 da Japan Airlines recebeu autorização para pousar na pista C.


De acordo com o histórico de conversa, momentos depois que o jato da Japan Airlines recebeu o sinal verde para pousar, o avião da Guarda Costeira foi instruído a seguir para um ponto de espera em uma pista de táxi, uma instrução que o piloto repetiu de volta.


Cerca de dois minutos depois, as duas aeronaves colidiram na pista quando o A350 pousou, resultando na morte de cinco pessoas a bordo do avião da Guarda Costeira.


Milagrosamente, apesar do A350 da Japan Airlines ter sido consumido pelas fogo causado pelo impacto das duas aeronaves, todos os 367 passageiros, incluindo 12 tripulantes, conseguiram escapar.


O único sobrevivente da aeronave DHC-8 da Guarda Costeira foi o comandante, que sofreu ferimentos graves.


De acordo com um oficial da Guarda Costeira, o comandante disse que entrou na pista depois de obter permissão.


No entanto, o funcionário em questão reconhece que não havia nada nas transcrições para confirmar isso.


Juntamente com a investigação do acidente, a polícia japonesa também está investigando o incidente para entender se a negligência profissional acabou ocasionando a morte dos cinco tripulantes.


Representantes do Conselho de Transportes de Segurança do Japão (JTSB) e quatro investigadores do Bureau of Enquiry and Analysis for Civil Aviation Safety (BEA), agência do governo francês, criada em 1946, com a missão de investigar acidentes aéreos, estiveram no local do acidente.


O voo 516 deixou o Aeroporto New Chitose (CTS) no dia 2 de janeiro, pouco antes das 16h30, horário local, e pousou no Aeroporto de Haneda às 16h47.


Ao pousar, o A350 colidiu com o avião da Guarda Costeira que estava sendo usado para entregar ajuda a uma região do Japão atingida por um terremoto em 1º de janeiro.



Fonte: AeroTime

Tradução: AeroLatina

コメント


bottom of page